Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sentaqui

"A maturidade permite-me olhar com menos ilusões, aceitar com menos sofrimento, entender com mais tranqüilidade, querer com mais doçura." (Lya Luft)

Sentaqui

"A maturidade permite-me olhar com menos ilusões, aceitar com menos sofrimento, entender com mais tranqüilidade, querer com mais doçura." (Lya Luft)

Por um dia voltei àquela casa

Foto de sentaqui
 

Contrariando a canção do Rui Veloso " Nunca voltes ao lugar onde já foste feliz", resolvi voltar, apenas e só por um dia, poderão vir outros, mas não farei disso um hábito, nem nada está planeado.

 

Soube-me bem subir ao primeiro andar, abrir as janelas de par em par e mesmo que não as abrisse a paisagem era a mesma, igual a tantos dias lá passados donde se pode ver a imensidão azul do mar.

 

Abri as janelas, circundei a varanda, olhei o casario, as árvores e o rumorejar das ondas. Um ventinho cortante fez-me voltar para dentro, sem contudo perder a vista que tanto me fascina.

 

Fechadas as janelas, escutei o silêncio, quase ouvi o meu coração bater, era precisamente este silêncio que eu precisava sentir.

 

Olhei à volta, percorri a casa e sorri, porque ali estava tudo o que sempre sonhei e que consegui concretizar depois de uma remodelação feita há cerca de um ano e tal. Olhei os quadros que pintei, os móveis que substitui, os candeeiros, tapetes, cortinados e aquela cozinha espaçosa onde aqueci o almoço que levei.

 

Tudo preparado para ir para a praia, mas havia uma força maior que me prendia ali. Li, tirei fotos, vi um filme , refastelei-me no sofá e dei-me ao luxo de nada fazer nem em nada pensar. Deixei fluir.

 

A mesma força que me prendeu ali, foi igual à que me fez regressar, aquele lugar já não era meu, apenas tem pedaços de mim.

 

Agora já no meu ninho e sentada aqui, há o elevador que sobe e desce, as portas que batem, o barulho dos autoclismos, a discussão mais acesa, o arredar de cadeiras e tantos outros sons próprios de quem vive encaixotada.

 

Se me sinto mal aqui? Não, de modo nenhum, este é o meu refúgio, o meu porto de abrigo, a minha paz e tudo isto é impagável e cada minuto é vivido à minha maneira, livre e de vez em quando feliz!

 

 

13 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D