Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sentaqui

"A maturidade permite-me olhar com menos ilusões, aceitar com menos sofrimento, entender com mais tranqüilidade, querer com mais doçura." (Lya Luft)

Sentaqui

"A maturidade permite-me olhar com menos ilusões, aceitar com menos sofrimento, entender com mais tranqüilidade, querer com mais doçura." (Lya Luft)

O desatino de não saber o que oferecer

Uma das coisas que mais me deixa stressada no Natal são as prendas que obrigatoriamente tenho de oferecer, por isso desatino com esta correria ás lojas, levar a lista das pessoas com quem partilho esta época e ficar completamente bloqueada sem saber o que escolher.

 

Adoro dar, mas nesta altura acontece muitas vezes comprar á toa. Gosto de numa outra altura do ano passar, olhar para uma montra e ver algo que se adapta a uma determinada pessoa, isso é que me dá prazer, surpreender alguém que não está á espera de nada.

 

Para as mulheres e crianças há sempre uma maior variedade de escolhas possíveis, agora para os homens é um autêntico pesadelo.

E para aqueles ou aquelas que têm tudo, que mais um perfume, um livro, um cinto, umas peúgas ou um boné, nem aquece nem arrefece, correndo-se sempre o risco de ser mais uma peça que vai ser posta a um canto.

 

E se me esqueço de alguém? Para que isso não aconteça compro sempre coisas a mais e vejo a minha carteira esvaziar-se com uma velocidade assustadora.

 

Depois vem o medo que sinto quando penso que a pessoa não gostou do que ofereci, mas simpaticamente e com um sorriso diz: Que lindo! Obrigada. Há expressões destas que já sei se são genuínas ou são ditas meramente por uma questão de boa educação.

 

Bom pelo menos enquanto estou sentada aqui penso que muitos comerciantes vêem nesta altura uma tábua de salvação para o negócio que devido á crise estava meio parado.

Feliz Natal !

Todos vivemos esta época do ano num espírito de alegria, partilha e desejos de muita paz e saúde.

É reconfortante ver que, mesmos para aqueles que vivem esta quadra sem associarem o factor religioso, há um espírito de família, uma união que está mais em destaque, uma festa de amor e dávida uns para com os outros.

Os desfavorecidos, os sem abrigo, merecem e têm nesta altura uma atenção especial por parte daqueles que com altruísmo e boa vontade tiram horas do conforto do lar, para se dedicarem e oferecerem um pouco mais aos que nada têm.

As crianças são sem dúvida as que mais usufruem desta quadra e há sempre os que sonham com o Pai Natal, os que se encantam a tentar adivinhar o que está dentro dos embrulhos que a pouco e pouco se vão acumulando junto daquela árvore iluminada e outros, infelizmente que nada têm.

O frenesim das compras faz-se sentir, a preocupação aumenta quando se tem de escolher aquela prenda, para aquela pessoa especial, que queremos surpreender.

Há também os que simplesmente se reúnem sem intenção de dar ou receber bens materiais, em que apenas está presente a amizade e a comunhão de gestos e palavras de conforto, de partilha em que os brindes se sucedem com sorrisos genuínos e verdades que vêm puras e sinceras do fundo coração.

Ninguém consegue ficar indiferente á euforia desta época e eu sentada aqui, quero desejar a todos, momentos de tranquilidade, paz , harmonia e união. Que este não seja só e apenas mais um Natal, que seja o melhor de todos ou que nos esforcemos para que isso aconteça.

 

Feliz Natal!

 

 

 

 

A vida em cima da mesa

 

A vida não pára (X), roda incansável e indiferente ás horas, dias ou anos e neste constante rodar há momentos em que é preciso parar, pensar (IX), para que haja equilíbrio (XIV) em atitudes e nas nossas decisões.  

 

Com força (VIII) perseguimos os nossos ideais e por vezes temos de deixar que morra (XIII) o que já não faz sentido, para que seja feita uma renovação enquanto se espera que haja uma estrela (XVII) que ilumine o nosso caminho e o das pessoas com quem temos de nos cruzar.

 

Por vezes instala-se o caos (XVI) e tudo o que construímos cai por terra, deixando um rasto de dor que é importante para se fazerem as aprendizagens necessárias para que não se repitam as condutas que não foram as melhores.

 

Depois do caos, vêm os recomeços (I) as iniciativas as novas ideias e outros sonhos e objectivos, mas de vez em quando há forças ocultas (II) e inexplicáveis que parecem travar o nosso desenvolvimento e durante certo tempo, que desejamos não seja longo, vivemos dependurados (XII), sem capacidade de iniciativa em que só a mente se perde em pensamentos confusos, que nos impedem de avançar e como se isso não bastasse, as ideias negativas (XV) perseguem-nos e ficamos presos ao lado negro da vida.

 

Mas nenhum mal é eterno e há um dia em que o sol brilha (XIX)e a esperança e alegria tomam de novo conta de nós.

 

E nesta caminhada existem os medos,(XVIII) a falta de coragem para avançar, mas há sempre os verdadeiros amigos (III) que prontamente nos dão o tal empurrãozinho com a energia necessária para que possamos estar abertos ao novo e a todas as alterações(XX) que vão surgindo, com a sabedoria (V) , a justiça , o sentido de responsabilidade que dá mais maturidade ao nosso viver.

 

E um dia há aquele momento de loucura (O) em que sem regras, partimos sem rumo, vivendo alegrias e tristezas com a consciência de que tudo faz parte de uma caminhada em que somos nós os únicos responsáveis pelas nossas escolhas.

 

Sentada aqui relembro uma noite em que sete mulheres se reuniram e falaram da vida das nossas vidas traduzidas por figuras que são apenas a tradução de vivências pelas quais todas nós um dia já passámos ou iremos passar...sabe-se lá...


Mais uma jantarada

 

Ontem recebi uma mensagem no meu tm que dizia:

 

"Ora bem, o jantar é Sábado ás 8.00 em minha casa. Somos 6 a jantar. Eu faço o jantar. Cada uma deverá levar uma prenda até cinco euros.

A Ro leva a sobremesa, tu e a Sara trazem o vinho e a Luisinha e a Carla encarregam-se das entradas. Se tiverem dúvidas apitem! Beijo.

Ps. Maria não te esqueças das cartas"

 

O mulherio vai juntar-se de novo, desta vez, como é de prever as gargalhadas não vão faltar e as novidades também não.

Pode ser que na segunda feira haja aqui notícias sobre a jantarada.

 

E enquanto estou sentada aqui, desejo a todos um óptimo fim de semana!

A mulher forte regressou

Aquela mulher forte, cheia de energia, de uma vitalidade inesgotável, de um querer inabalável, convenceu-se que nada nem ninguém a podia derrubar. Habituou-se a arranjar sempre estratégias de defesa, julgando ficar imunizada a qualquer sintoma que indicasse fragilidade e insegurança.

 

Aquela mulher forte de repente viu-se confrontada com a falta de energia, com um estado debilitado que a deixou prostrada e em desalento, perdida e sem saber o que fazer.

 

Orgulhosa, tentou sozinha arranjar maneira de ultrapassar tudo o que a estava a incomodar, mas mal ela sabia que até ela própria desconhecia a verdadeira origem de tal estado.

 

Os sintomas físicos deram o alerta, já que a parte emocional estava resguardada (julgava ela), num cofre bem fechado onde não permitia que ninguém entrasse.

 

Vieram os antibióticos, os anti inflamatórios, os analgésicos, as vitaminas e sei lá que mais. Passou a dormir horas a fio, confundia a noite com o dia, fazia um esforço enorme para manter alguma actividade básica e normal.

 

Não, não era por aí que ia encontrar a cura, concluiu.

 

Hoje sentada aqui a mulher forte renasceu porque alguém lhe disse algumas verdades que ela conhecia, mas que queria esconder.

"-Se repetes sempre os mesmos erros, se escolhes sempre os mesmos caminhos, se não ousas descobrir coisas novas, se falas sempre com as mesmas pessoas, como queres libertar-te? Tens a mania de controlar, de te preocupares com o bem estar dos outros, de te esqueceres de ti.

Não tenhas medo de mostrar as tuas fragilidades, de pedir ajuda e sobretudo de dares valor a ti própria."

 

Hoje a mulher forte que conheci, regressou!

 

 

Revolução silenciosa...

 

 

Há uma certa sensação de desconforto, um sentir que não sei explicar, um aperto no estômago, um mau pressentimento e o mais estranho é que ainda não descortinei donde vêm estes sintomas, que gente lúcida e objectiva interpretaria como sinal de pronúncio de um cérebro que se está a detiorar a passos largos, outros dirão que são sintomas de pessoa que sem problemas se está a entreter a lançar presságios obscuros e surreais.

Começo a não ter a certeza da minha sanidade, mas de imediato penso que desde sempre tive a visão antecipada de algo que não estava a correr bem, portanto deduzo que aqui não conta o factor idade, nem quero ter a veleidade de pensar que os meus pensamentos são premonitórios, qual cartomante, bruxa , ou profeta das desgraças.

 

Surgindo como por acaso e acreditando que os meus feelings poderão estar certos li algures o seguinte.

De uma forma resumida o artigo dizia:

 

"Está a acontecer na nossa rua e à nossa volta, e ainda não percebemos que a Revolução, uma nova Era já começou! 

De facto, há cerca de 3 ou 4 meses começaram a dar-se alterações profundas, e de nível global, em 10 dos principais factores que sustentam a sociedade actual. Num processo rápido e radical, que resultará em algo novo, diferente e porventura traumático, com resultados visíveis dentro de 6 a 12 meses... E que irá mudar as nossas sociedades e a nossa forma de vida nos próximos 15 ou 25 anos

 


Façamos um rápido balanço da mudança, e do que está a acontecer aos "10 factores"

 

1º- A Crise Financeira Mundial : desde há 8 meses que o Sistema Financeiro Mundial está à beira do colapso

2º- A Crise do Petróleo : Desde há 6 meses que o petróleo entrou na espiral de preços. Não há a mínima ideia/teoria de como irá terminar. Duas coisas são porém claras: primeiro, o petróleo jamais voltará aos níveis de 2007 (ou seja, a alta de preço é adquirida e definitiva, devido à visão estratégica da China e da Índia que o compram e amealham!)

3º- A Contracção da Mobilidade : fortemente afectados pelos preços do petróleo, os transportes de mercadorias irão sofrer contracção profunda e as trocas físicas comerciais (que sempre implicam transporte) irão sofrer fortíssima retracção, com as óbvias consequências,europa nas indústrias a montante e na interpenetração económica mundial

4º- A Imigração : a Europa absorveu nos últimos 4 anos cerca de 40 milhões de imigrantes, que buscam melhores condições de vida e formação, num movimento incessante e anacrónico (os imigrantes são precisos para fazer os trabalhos não rentáveis, mas mudam radicalmente a composição social de palavra-chave como a Alemanha, a Espanha, a Inglaterra ou a Itália). Este movimento irá previsivelmente manter-se nos próximos 5 ou 6 anos! A Europa terá em breve mais de 85 milhões de imigrantes que lutarão pelo poder e melhor estatuto socioeconómico (até agora, vivemos nós em ascensão e com direitos à custa das matérias-primas e da pobreza deles)!

5º- A Destruição da Classe Média : quem tem oportunidade de circular um pouco pela Europa apercebe-se que o movimento de destruição das classes médias (que julgávamos estar apenas a acontecer em Portugal e à custa deste governo) está de facto a "varrer" o Velho Continente!

6º- A Europa Morreu : embora ainda estejam projectar o cerimonial do enterro, todos os Euro-Políticos perceberam que a Europa moribunda já não tem projecto, já não tem razão de ser, que já não tem liderança e que já não consegue definir quaisquer objectivos num "caldo" de 27 países com poucos ou nenhuns traços comuns!...

7º- A China ao assalto! a construção naval ao nível mundial comunicou aos interessados a incapacidade em satisfazer entregas de barcos nos próximos 2 anos, porque TODOS os estaleiros navais do Mundo têm TODA a sua capacidade de construção ocupada por encomendas de navios... da China. O gigante asiático vai agora "atacar" o coração da Indústria europeia e americana (até aqui foi just a joke...). Foram apresentados há dias no mais importante Salão Automóvel mundial os novos carros chineses. Desenhados por notáveis gabinetes europeus e americanos, Giuggiaro e Pininfarina incluídos, os novos carros chineses são soberbos, réplicas perfeitas de BMWs e de Mercedes  e vão chegar à Europa entre os 8.000 e os 19.000 euros! E quando falamos de Indústria Automóvel ou Aeroespacial europeia...helás! Estamos a falar de centenas de milhar de postos de trabalhos e do maior motor económico,  financeiro e tecnológico da nossa sociedade. À beira desta ameaça, a crise do têxtil foi uma brincadeira de crianças! (Os chineses estão estrategicamente em todos os cantos do mundo a escoar todo o tipo de produtos da China, que está a qualificá-los cada vez mais).

8º- A Crise do Edifício Social : As sociedades ocidentais terminaram com o paradigma da sociedade baseada na célula familiar! As pessoas já não se casam, as famílias tradicionais desfazem-se a um ritmo alucinante, as novas gerações não querem laços de projecto comum, os jovens não querem compromissos, dificultando a criação de um espírito de estratégias e actuação comum...

9º- O Ressurgir da Rússia/Índia : para os menos atentos: a Rússia e a Índia estão a evoluir tecnológica, social e economicamente a uma velocidade estonteante! Com fortes lideranças e ambições estratégicas, em 5 anos ultrapassarão a Alemanha!

10º- A Revolução Tecnológica : nos últimos meses o salto dado pela revolução tecnológica (incluindo a biotecnologia, a energia, as comunicações, a nano tecnologia e a integração tecnológica) suplantou tudo o previsto e processou-se a um ritmo 9 vezes superior à média dos últimos 5 anos!"

 

E o artigo termina:

 

"Eis pois a revolução!

 

Será?

Fico sentada aqui esperando que alguém me diga que tudo o que foi aqui escrito, não passa de demagogia, de uma estratégia para assustar gente mais vulnerável e crédula  garantindo o poder de esvaziar a nossa capacidade de luta.

Quero acreditar que as crises sempre existiram, são passageiras e que têm a vantagem de gerar novas estratégias que visam o bem comum, sem anular os valores universais que permitem a convivência pacífica entre todos os povos e a preservação do mais importante que temos: A Natureza

 

 

 

Pág. 1/2

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D