Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sentaqui

"A maturidade permite-me olhar com menos ilusões, aceitar com menos sofrimento, entender com mais tranqüilidade, querer com mais doçura." (Lya Luft)

Sentaqui

"A maturidade permite-me olhar com menos ilusões, aceitar com menos sofrimento, entender com mais tranqüilidade, querer com mais doçura." (Lya Luft)

Um dia de sol que acabou com espinhos

 

Uma das zonas de Portugal que me seduz particularmente é a Arrábida e este Domingo passei-o por lá.

 

O dia estava maravilhoso, muito sol, a água de um azul esverdeado, não ficava atrás em beleza, de nenhum destino paradisíaco além fronteiras. Pessoas semi despidas passeavam no areal, outros aproveitavam para um passeio de canoa, e outros ainda caminhavam ao longo do areal como eu fiz.

 

Sempre de máquina a jeito lá ia registando os ângulos que me pareciam mais encantadores.

 

Lá para o final do dia, subi uns degraus e vi uns cactos frondosos que deram umas belas fotos. Na ânsia de conseguir algumas macros fui-me aproximando deles cada vez mais, e de tão embrenhada que estava nem me apercebi que estava coberta de picos. A pouco e pouco as dores foram aumentando e já sentia picadelas por todos os lados. Fui tirando os que pude e chegada a casa fiquei  durante algum tempo sentada aqui de lupa pinça e uma luz bem forte para me livrar deles.

 

E como ainda restam alguns vou continuar esta difícil tarefa de limpeza.

 

Serviu-me de lição e para a próxima quando vir cactos bonitos ou me afasto deles , ou coloco um escudo protector. 

 

 
 
 

 

Dicas para diminuir a ansiedade das crianças e adultos

 

É por demais sabido que há crianças que ficam ansiosas e nervosas, sobretudo nos primeiros anos de escola e quando chega a altura de avaliações esse nervosismo é mais notório.

 

Uma das formações que fiz foi sobre reflexologia que se aplica na planta dos pés, mas também pode ser feita nas mãos. Esta actividade tem-me servido para colmatar o buraco financeiro deixado pela falta dos subsídios que os senhores políticos fizeram o favor de nos tirar. Regra geral tenho feito a adultos, mas há dias achei interessante o artigo que li no Sapo e que fala como diminuir a ansiedade nas crianças, através da aplicação de determinados exercícios , que podem ser feitos nas mãos quem quiser pode segui-los aqui e colocá-los em prática com os seus filhos.

 

Certo é, que já posso garantir que esta actividade feita na planta dos pés, tem dado resultados excelentes nas pessoas com quem trabalho, porque o objectivo é restaurar o equilíbrio emocional e físico, provocando relaxamento, reduzindo o stress e tensão, melhorando a circulação sanguínea, levando oxigénio e nutrientes para as células, aumentando a concentração e positividade e estimulando o bom funcionamento dos sistemas digestivo, respiratório, nervoso, endócrino e linfático.

 

Tem sido um trabalho gratificante, porque constato que as pessoas saiem bem depois dos tratamentos, algumas fazem várias sessões e vão passando palavra e assim aqui a Maria, apesar de devagar, tem conseguido ganhar uns trocos, mas o mais importante é sentir que estou a contribuir para o bem estar das pessoas, fazendo uma coisa que gosto e com muito gosto.

 

E neste vaivém de relaxamentos tem-me sobrado pouco tempo para ficar sentada aqui e chego ao fim do dia com necessidade, também eu de relaxar e nada melhor que uma musiquinha calma daquelas com que acompanho os tratamentos.

 

Deixo uma e sugiro que enquanto se vê televisão, nunca quando se ouvem as notícias, porque isso é de pôr os cabelos em pé, vão massajando as mãos e tenho a certeza que terão uma noite bem descansada.

 

 

 

 
 

Quando uma flor se abre

Quando uma flor se abre,
nunca é apenas uma flor
- ela ativa um processo;
então, flores continuam a se abrir.
A primeira flor pode ser difícil,
mas as outras simplesmente virão.
A primeira experiência é difícil,
porque você não a permite.
Uma vez que a permitiu,
então não é só uma flor que se abre
- mil e uma flores vão se abrir...

(Kabir)

 

Hoje recebi flores

Surpreendida? muito!

A vida dá-nos no momento certo o inespesperado.

E fico sentada aqui a pensar que há tanto tempo não as recebia e como um pequeno gesto me fez tão feliz!

 

 

O pior investimento jamais feito em Portugal

 

Investimos no Gasparzinho e agora estamos a sofrer as consequências de um dos piores  investimentos feitos em Portugal.

 

Podíamos, por exemplo, ter investido, no Jardim Zoológico e tenho a certeza que os animais que o povoam não tinham retribuído da mesma maneira que esta alma benemérita o fez.

 

Vou ficar sentada aqui a ler o resto das benesses com que fomos bafejados e pelo que li, já nem sei se hei-de rir se chorar.

 

 

 

 

Pinturas em casa, sinónimo de bagunça

Há pouco tempo tive oportunidade de fazer um pequeno workshop de Feng Shui. Desde há muito que é um assunto que me fascina e tento sempre pô-lo em prática, na minha casa ou nos espaços por onde passo.

 

Desta vez, as pequenas alterações, deram lugar à loucura de pintar algumas partes da casa, seguindo os ensinamentos que adquiri.

Escusado será dizer que aqui tudo se transformou num arraial onde reinou durante dois dias a maior bagunçada de sempre, isto apenas enquanto andou aqui o pintor, porque antes foi tirar tudo dos armários, amontoar malas, roupas, sapatos, tirar tapetes, cortinados, objectos decorativos, arredar móveis, enfim uma trabalheira.

 

Antes da pintura dividi a planta da casa em 9 partes, sabendo de antemão o significado de cada uma delas e descobri por exemplo que estava a dormir no quarto errado, eu bem me parecia, porque dormir descansada nem pensar...seria sugestão? Experimentei mudar para outro, ora agora ferro-me a dormir e haja descanso...será sugestão?

 

O tapete de entrada que era vermelho, passou a azul, nas casas de banho não pude mexer muito, mas comprei objectos adequados para equilibrar a energia, mas a maior transformação foi pintar um quarto com duas cores, verde e laranja suave, ficou um mimo e irá ser um dos meus locais de trabalho, verde é a cor da cura e laranja da fama e espero que, pelo menos nos próximos tempos possa ganhar o suficiente para pagar a despesa que já fiz. A sala e cozinha estavam perfeitas e aí não foi preciso mexer.

 

Curiosamente num desses 9 quadrados há o lugar da mulher, aquele onde nos sentimos melhor e não é que o meu querido sofá onde me refastelo todas as noites é o meu? Eu já desconfiava, porque mal me sento caio numa moleza descomunal e no Inverno com a lareira acesa até me esqueço de ir para a cama.

 

Para quem acredita nestas coisas deixo aqui alguma informação e para os casais um conselho: nunca ponham um espelho em frente à cama e mais não digo.

 

Podia ficar sentada aqui mais um pouco a falar sobre o assunto, mas vou ali continuar a pôr alguma ordem no caixote.

 

 

-Somos predadores, uns comem outros são comidos

Este foi um daqueles fins de semana em que não houve um minuto de tédio, desde ter a casa num reboliço porque amanhã entram os pintores por aqui dentro, até ter de servir de cicerone a pessoas amigas que por motivos profissionais, tiveram de se descolar para o oeste, tive também direito a cruzar-me com um gajo, sim gajo, repito, embora não seja normal utilizar esta linguagem quando estou sentada aqui.

 

Gosto de conviver, de conhecer gente nova, de partilhar ideias e conhecimentos e nunca crio expectativas negativas em relação às pessoas que se cruzam comigo, até prova em contrário.

 

O saldo foi positivo, porque a diversidade de vivências, de formas de pensar, de outros modos de vida, são sempre uma mais valia, quanto mais não seja aprendemos a fugir depois de ouvirmos algumas barbaridades.

 

Depois de enumerar com fingida humildade muito do património que possui, o gajo que mencionei, atreve-se a dizer-me:

-Sabes, vivemos numa selva, somos predadores, uns comem outros são comidos. Deduzo que lhe saiu da boca tamanha bacorada, porque não mostrei interesse em passear no seu veleiro de 12 metros, apesar de gostar de motos também não lhe pedi para dar uma voltinha, o carro descapotável que tinha ficado na garagem também não serviu para me aliciar. Calculo que na mente deste predador eu seria uma presa apetecível, só que lhe saiu o tiro pela culatra e em vez de caçar, fui eu que saboreei um belíssimo jantar num restaurante caríssimo, pago, claro está, pelo senhor gajo, que pode vir coberto de ouro, que eu estarei na selva, feita macaca a saltar de galho em galho a fugir de animais selvagens deste estilo.

 

 

Perdoa-nos filha

Foto de sentaqui

 

Se os meus pais estivessem vivos a esta altura já estavam fartos de me pedir perdão por ter nascido aqui, ou por não terem emigrado.

 

A mãe, que nasceu no Brasil, bem que podia ter levado a família toda se adivinhasse a balbúrdia, os disparates, o desgoverno a injustiça, a corrupção e o descaramento com que eu e muitos como eu estamos a ser tratados.

 

Ora que bom seria! A esta hora estaria  sambando, passeando em Copacabana, correndo no calçadão, bronzeando e sem gastar muitos reais em farpelas.

 

Viu minha "genti" o que eu estou perdendo sentada aqui? É que agora mesmo que queira não há real que me chegue para voar seja para onde for.

 

 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D