Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sentaqui

"A maturidade permite-me olhar com menos ilusões, aceitar com menos sofrimento, entender com mais tranqüilidade, querer com mais doçura." (Lya Luft)

Sentaqui

"A maturidade permite-me olhar com menos ilusões, aceitar com menos sofrimento, entender com mais tranqüilidade, querer com mais doçura." (Lya Luft)

Pode vir a ser um bom programa , mas os anúncios são do mais ridículo que tenho visto



Talvez por serem tão ridículos captem mais a atenção dos espectadores, a publicidade tem destas coisas.

Não me recordo o que todos dizem o que fariam por amor, mas há pelo menos 4 que não me escaparam.

- Eu por amor partia tudo!- diz um! Deduzo que partia a louça , os móveis e a mulher, no fim diria, por ti, minha querida, fiz isto tudo apesar de estares toda partidinha, não te preocupes que vou já chamar o INEM.

-Outra diz: - eu até comia carne mal passada que me dá vómitos e aqui fica a minha dúvida, será que se visse um rolo bem jeitoso de carne crua à frente não o devorava todo?

Mais uma pérola: - Por amor comprava-lhe um par de sapatos todos os dias, fico a pensar se não seria para a pôr a andar o mais rápido possível sem se preocupar com o tipo de calçado que deveria  escolher?

Por último: - Por ela ia a do Algarve a Fátima a pé...aqui é que não compreendo, seria para pedir à virgem para a pôr a andar o mais rápido possível? E o que é que a santa tem a ver com o amor?

Todo o anúncio é um rosário de palavras sem nexo, ditas à toa e desvirtuando por completo o sentido da palavra amor, o ridículo é notório e a banalização é um atentado ao que de mais precioso há no mundo...AMOR

Fico sentada aqui a perguntar a mim mesma o que faria por amor...não consigo encontrar nenhuma resposta, mas acho que simplesmente amava, sem promessas, sem criar expectativas, sem medos, entregando-me de corpo  alma, amando incondicionalmente.




De novo sentada aqui

Foto minha

Com muita pena minha, já faz muito tempo que não fico sentada aqui. Tenho lido muito do que se escreve na blogosfera, mas problemas relacionados com a visão, não me têm permitido ficar muito tempo em frente ao Pc.

 

Felizmente já dei a volta ao assunto e agora até parece que os meus olhinhos vêem a dobrar.

 

Há uns anos atrás constatei que estava com dificuldade em ver ao perto, até se diz a brincar, não se vê mal, temos é falta de braço. Resolvi comprar uns óculos numa farmácia e fiquei encantada. Tempos depois achei que aqueles já não davam e vai de comprar outros e mais outros, cada vez com a graduação mais elevada.

 

Até que a coisa se agravou de tal maneira, que já nem um livro conseguia ler, logo eu que gosto tanto de uma boa leitura.

 

Achei que não podia adiar mais uma ida ao oftalmologista, felizmente encontrei uma clínica perto da minha cidade que tinha acordo com a ADSE e lá fui. Muitos exames e a conclusão não me foi nada favorável, via mal ao perto e ao longe também, para além de um acentuado descaimento das pálpebras...eu que gosto tanto de rir, que quando o fazia nem se viam os olhos e até aconteceu uma história engraçada: emprestei a minha máquina fotográfica a uma criança para me tirar uma foto e ela na sua simplicidade, diz bem alto: - abre os olhos!

 

Arrisquei e um pouco a medo por pensar que seria considerada uma operação estética e não comparticipada, perguntei se não se podia cortar um pouco da pálpebra. Para meu espanto a médica disse-me que sim e que até tinham uma especialista no assunto.

 

Conclusão: cirurgia marcada e pela módica quantia de 160 euros.

 

Lá para o final de Junho já estarei por aqui de olho bem aberto.{#emotions_dlg.blink}

 

 

Palavras que marcam quando lemos certos livros

Foto minha

Hoje sentada aqui fui reler algumas passagens do livro As Cartas Secretas Do Monge Que Vendeu O Seu Ferrari.

 

Escolhi esta reflexão:

 

"Nós não passamos os nossos dias sós ou afastados do mundo que nos rodeia, e, por isso, devemos prestar sempre atenção às coisas e às pessoas que permitimos que entrem nas nossas vidas. É um sinal de sabedoria escolher passar o tempo no lugar que o inspiram e energizam, dar-se com as pessoas que o elevam e o animam. Quer no trabalho quer nas nossas vidas pessoais, esses amigos e pares mais positivos inspirar-nos-ão a sermos os nossos melhores eus e a vivermos as nossas vidas de forma mais ampla."

 

 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D