Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sentaqui

"A maturidade permite-me olhar com menos ilusões, aceitar com menos sofrimento, entender com mais tranqüilidade, querer com mais doçura." (Lya Luft)

Sentaqui

"A maturidade permite-me olhar com menos ilusões, aceitar com menos sofrimento, entender com mais tranqüilidade, querer com mais doçura." (Lya Luft)

Quando a amizade colorida perde a cor

Foto sentaqui

 

- Então tens alguém?

- Naaaa só uma amizade colorida.

- Mas vêem-se ou estão juntos muitas vezes?

- Nem por isso, visita-me quando tem tempo, quando lhe apetece e está comigo meia dúzia de horas.

- E agrada-te isso?

- Bom no início até sabia bem, não quero ninguém outra vez a viver comigo, mas a coisa está a complicar-se porque acho que me estou a apaixonar por ele.

 

O que começa no início como uma relação sem compromisso, em que ambos sabem de antemão o que querem e definem o tipo de relação que desejam, tudo corre bem até ao momento em que um se começa a afastar, as visitas a rarear, enquanto a outra parte se apega e se angustia com o gradual apego a uma situação onde à partida estava subentendido que nem um nem outro assumiria um relacionamento certo e duradouro.

 

Hoje há cada vez mais a ideia de não assumir compromissos independentemente do sexo ou do estatuto social.

Para os mais jovens estas amizades coloridas são mais fáceis de gerir porque facilmente trocam de parceiro quando as coisas começam a descambar.

 

Para os que já tiveram uma vida em comum, que já se separaram e que decerto modo querem uma independência e liberdade para compensar más experiências anteriores, partem com entusiasmo para este tipo de amizade, entusiasmo esse que gradualmente vai dando uma sensação de vazio, porque não é uma relação de uma noite que preenche os desejos e anseios de qualquer ser humano que os diferencia dos irracionais.

 

Não sei quem inventou a expressão "amizade colorida", nada mais inapropriado e eu trocaria a palavra amizade, por relação.

Tal como na Primavera tudo se enche de cor, no Verão há a pujança e o culminar de um arco íris que inspira, que incendeia de desejo, de sensações únicas de prazer, mas é inevitável a chegada do Outono, quando lentamente sem que nos apercebamos, as cores ficam desbotadas, as folhas caiem até que o Inverno vem esfriar e queimar tudo o que um dia foi.

 

E perante tantos desabafos que ouço fico sentada aqui a pensar que nunca substituiria uma verdadeira amizade por uma cor efémera  que se esvai com o passar das estações. 

 

 

 

12 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D