Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sentaqui

"A maturidade permite-me olhar com menos ilusões, aceitar com menos sofrimento, entender com mais tranqüilidade, querer com mais doçura." (Lya Luft)

Sentaqui

"A maturidade permite-me olhar com menos ilusões, aceitar com menos sofrimento, entender com mais tranqüilidade, querer com mais doçura." (Lya Luft)

Os meninos do Uganda

Em Novembro de 2014 fui até ao Uganda para visitar a Floresta Impenetrável de Bwindi

Integrada num pequeno grupo de apenas 10 pessoas ficamos alojados num pequeno lodge perto de uma aldeia.

Nessa noite uma tempestade desabou, a chuva e trovões pareciam que arrasavam tudo, julguei até que a nossa visita tivesse ficado comprometida, mas não, no outro dia o sol já brilhava.

 

Decidimos, eu e outro casal aproveitar o tempo e visitar a pequena aldeia. Ruas enlameadas, casas construídas com   tijolos de barro feitos pelos habitantes e um verde deslumbrante por todo o lado. Ao longe serpenteava um afluente do rio Amazonas.

 

Crianças à beira da estrada saudavam-nos com um sorriso cativante e alguns estendiam as mãos na esperança de receberem alguns dólares.

 

Depois de algumas perguntas , uma delas convidou-nos a entrar num espaço onde aprendiam as suas danças. À entrada desenhos feitos por elas , eram um convite para a compra e assim contribuir para a manutenção desse pequeno espaço cultural.

 

Fomos convidados para dançar e assim fizemos, estabeleceu-se ali um clima de alegria e partilha.

Ficámos a saber que todas as crianças iam à escola que ficava a alguns quilómetros da aldeia. Os mais velhos cuidavam dos mais novos, enquanto os pais andavam nos campos,  tratando do gado, cultivando o chá, café e bananeiras.

 

As brincadeiras eram na rua e televisão, rádio, jogos e outro tipo de divertimentos parecidos com os dos países , ditos civilizados , não existiam.

Será que lá comemoraram o Dia Mundial da Criança? Será que houve desfiles, enfeites especiais ou algumas prendas? Quero crer que não, mas sentada aqui penso que a pobreza aparente, era acima de tudo uma riqueza interior onde a genuinidade, a paz entre todos, os sorrisos... valem mais que todos as modernices deste mundo do lado de cá, onde há de tudo e onde  por vezes falta o mais importante...afectos.

 

 

 

 

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D